HORÁRIO DE ATENDIMENTO De Segunda às sextas-feiras,
7h30min às 11h30min, 13h às 17h
NOTICIAS

Ações de prevenção à Aids e de diagnóstico precoce marcam Dezembro Vermelho em Teutônia


04/12/2018 11:10

A Secretaria de Saúde de Teutônia iniciou as atividades alusivas ao Dezembro Vermelho, mês que marca, internacionalmente, a luta contra a Aids. No município, os casos da doença têm aumentando consideravelmente e, por isso, o foco na conscientização será intensificado. Neste sentido, a Secretaria de Saúde reforça que os todos os postos de saúde distribuem, gratuitamente, preservativos masculinos e femininos, além de gel lubrificante.

Da mesma forma, todas as unidades de saúde estão oferecendo testes rápidos de HIV, Sífilis e Hepatites B e C, conforme agenda do enfermeiro (contatar a unidade de saúde mais próxima). O Centro Avançado de Saúde e as equipes da Estratégia da Saúde da Família (ESF) Raio de Luz e Aurora, no Bairro Canabarro, estarão realizando os testes rápidos durante todo mês de dezembro, sempre às 7h30min, de segunda à sexta-feira, com atendimento de livre demanda.

Atualmente, Teutônia tem cerca de 70 pacientes com HIV em acompanhamento, mas o número é maior, pois muitas pessoas não sabem que possuem o vírus e outro percentual recebe acompanhamento em outros municípios. Os pacientes teutonienses recebem atendimento ambulatorial em Teutônia e o Serviço de Assistência Especializado (SAE) de Estrela realiza o atendimento especializado de referência do Município.

A campanha, então, visa conscientizar a população sobre a importância de se prevenir. “Procure sua unidade de saúde, retire seu preservativo e realize seu teste rápido. A prevenção é o melhor remédio”, coloca a enfermeira Daiane Muller, acrescentando que, quanto antes diagnosticada a doença, mais eficiente será o tratamento.

Em 1987, a Organização das Nações Unidas criou a campanha e, em 1991, a fitinha vermelha surgiu com artistas de Nova York, para lembrar a luta contra a Aids e transmitir compreensão, solidariedade e apoio aos portadores do vírus HIV. No Brasil, o projeto foi adotado em 1988, pelo Ministério da Saúde.

Texto: Édson Luís Schaeffer
Foto:  reprodução

LEIA TAMBÉM