HORÁRIO DE ATENDIMENTO De segundas às sextas-feiras,
das 7h30min às 11h30min, 13h às 17h

Mais de 100 alunos já são atendidos pelo projeto Sacada para a Vida

Iniciativa disponibiliza três núcleos de vôlei no turno inverso escolar, atendendo cinco educandários da rede municipal de ensino. A intenção é ampliar os núcleos para mais escolas, conforme disponibilidade de espaços adequados para a prática

12 de abril, 12h00min

Édson Luís Schaeffer
Atualmente, três núcleos estão atendendo mais de 100 alunos
Atualmente, três núcleos estão atendendo mais de 100 alunos

Lançado em março com o objetivo de atuar e contribuir, de forma efetiva, na formação de crianças e jovens das escolas municipais de Teutônia através do esporte, o projeto Sacada para Vida já ultrapassa a marca de 100 alunos atendidos. . A iniciativa está sendo executada em parceira de cooperação técnica com a Associação Esportiva Recreativa e Cultural Erno Dahmer – Juventus e visa implantar aulas de vôlei gratuitas em turno oposto ao escolar, para alunos da rede municipal de Teutônia.
Atualmente, três núcleos já estão em andamento, atendendo a cinco educandários. Na Linha Clara, o núcleo da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Dom Pedro I também contempla os alunos das escolas Bento Gonçalves (Bairro Boa Vista) e Floriano Peixoto (Linha Catarina). No momento, 42 alunos são atendidos neste núcleo, sob a coordenação do professor de Educação Física Karli Heller, às quintas-feiras, pela manhã e tarde.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Projeto Sacada para a Vida oferece aulas gratuitas de vôlei no turno inverso escolar

No núcleo da Emef Professor Teobaldo Closs, no Bairro Canabarro, são atendidos 45 alunos, sob orientação do professor de Educação Física Jorge Augusto Petry. As aulas acontecem às sextas-feiras, pela manhã e tarde. Já no núcleo da Emef 24 de Maio, também no Bairro Canabarro, 20 alunos, sob orientação do professor Karli Heller, participam do projeto nas sextas-feiras, pela manhã.
A intenção da Secretaria de Educação é ampliar os núcleos para os demais educandários, conforme disponibilidade de espaços adequados para a prática. Dentre os objetivos da iniciativa estão: disseminar e massificar a prática do voleibol no município, abrangendo o maior número de crianças e jovens nos bairros de Teutônia; estimular e desenvolver as categorias de base, visando formação de atletas; participar de eventos e competições esportivas a nível municipal e/ou estadual, interestaduais e/ internacionais; e estabelecer intercâmbio constante com a Juventus para indicação de atletas em potencial de competição.
O Sacada para Vida é um aprimoramento do Projeto Jogando na Escola (Projesc), iniciado pela Secretaria de Educação em 2017, que oferecia, em turno inverso, as modalidades de vôlei, atletismo e futsal. Os alunos participantes têm aulas sistematizadas de vôlei, com profissionais capacitados. As aulas têm duração de 1 a 2 horas semanais e têm, como principal norte, adequar as necessidades e capacidades de cada turma, com o intuito de iniciar, aprimorar e especializar os alunos participantes.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Projeto Sacada para a Vida oferece aulas gratuitas de vôlei no turno inverso escolar

Para as atividades, a Secretaria de Educação está disponibilizando os espaços (ginásios) das escolas, material pedagógico já existente, e viabilizará a aquisição de demais materiais conforme a necessidade e demanda em cada núcleo onde será implantado o projeto. As aulas são gratuitas, e as inscrições podem ser feitas na secretaria da própria escola.
Conforme o coordenador do projeto, Karli Heller, o esporte, enquanto fenômeno social, tem exercido e se mostrado um grande aliado na formação e transformação de crianças e jovens. “Aprende-se a ter respeito pelas regras e pelos outros jogadores, agregam-se o entendimento, o convívio com o coletivo, a resoluções de conflitos, o esforço e responsabilidade. Assim, é possível contribuir positivamente e significativamente na construção de identidade, valores, e referencias, que serão carregados por toda a vida”, enaltece.


CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer