HORÁRIO DE ATENDIMENTO De segundas às sextas-feiras,
das 7h30min às 11h30min, 13h às 17h

Vigilância Ambiental detecta 10 focos do mosquito Aedes aegypti em Teutônia

Também foram detectados sete focos do mosquito Aedes albopictus, que vive em áreas de mato e que também pode transmitir dengue, zika e chikungunya. Eliminar os criadouros é a melhor forma de prevenção

5 de julho, 8h00min

Édson Luís Schaeffer
Mutirão visou identificar possíveis criadouros do Aedes Aegypti
Mutirão visou identificar possíveis criadouros do Aedes Aegypti

A Vigilância Ambiental de Teutônia divulgou, nesta semana, os resultados das 48 amostras com larvas de mosquitos coletadas durante o segundo mutirão levantamento de índice rápido (Lira), que ocorreu entre os dias 23 e 29 de maio. Na ocasião, a Vigilância Ambiental, juntamente com a Vigilância Sanitária, agentes de combate de endemias e agentes comunitários de saúde, percorreu pátios em todos os bairros do município, realizando coletas de larvas de mosquitos. Durante a ação, ainda foram vistoriados pátios e as famílias receberam orientações sobre os perigos do mosquito, além da importância de eliminar todos os potenciais criadouros do Aedes aegypti.
Após a ação, em seu laboratório próprio, a Vigilância analisou cada um dos 48 tubitos com amostras de larvas de mosquito. Em 10 amostras foram detectadas a presença do Aedes aegypti, que pode ou não estar infectado com os vírus da dengue, zika e chikungunya. Destas 10 amostras, cinco são do Bairro Canabarro, duas do Bairro Languiru, duas do Bairro Alesgut e uma no Bairro Centro Administrativo. Nos bairros Teutônia e Boa Vista não foram localizados focos. As amostras também foram analisadas e os focos confirmados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen).
Em sete amostras, também foram detectadas larvas do Aedes albopictus. É um mosquito semelhante ao Aedes aegypti e que vive em áreas de mata, atacando, essencialmente, animais. No entanto, ele também pode transmitir, se infectado, dengue, zika e chikungunya. Diante da representatividade dos resultados, as Vigilâncias Ambiental e Sanitária reforçarão as ações de combate ao vetor, especialmente nas regiões em que os focos foram localizados.
Conforme o coordenador da Vigilância Ambiental, Evandro Borba, o combate ao mosquito será feito com ainda mais zelo e cuidado. “Zelo que deve, necessariamente, partir de cada morador de Teutônia, em cuidar e verificar seus pátios, terrenos com ou sem edificações, para que não se tenha criadouros. Por tudo, a prevenção é a melhor maneira de promover a saúde da população de maneira coletiva”, enaltece.
Borba lembra que, além da presença do mosquito em Teutônia, há uma possibilidade do mesmo estar infectado com os vírus da dengue, zika e chikungunya. Por isso, se faz necessária a adoção de medidas preventivas para eliminar o mosquito, evitando assim a contaminação, cujas dicas básicas podem ser conferidas a seguir.

Foto: divulgação
Amostras foram coletas e analisadas

É bom relembrar: dicas para combater o Aedes aegypti

O combate do Aedes aegypti é tarefa de todos. Por isso, siga essas dicas:
– Baldes e vasos de plantas vazios: Guarde-os em local coberto, com a boca para baixo;
– Piscinas: Mantenha a piscina sempre limpa e use cloro para tratar a água;
– Coletor de água da geladeira e ar-condicionado: Atrás da geladeira existe um coletor de água, que deve ser lavado uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado;
– Calhas: Mantenha-as sempre limpas, sem folhas e nivelada, melhorando, assim, a passagem de água;
– Cacos de vidro nos muros: Quebre todos os cacos que possam acumular água ou vede com cimento;
– Garrafas de vidro ou de plástico (pet): As garrafas devem ser, obrigatoriamente, embaladas e descartadas corretamente na lixeira, em local coberto ou de boca parta baixo;
– Lajes: Não deixe água acumular nas lajes, mantendo-as sempre secas;
– Ralos: Tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso;
– Vasos sanitários: Deixe a tampa sempre fechada ou vede com plástico;
– Plantas que acumulam água: Evite plantas que acumulem água ou retire, semanalmente, a água das folhas;
– Suporte de garrafão de água mineral: Lave-o sempre quando fizer a troca ou mantenha vedado quando não estiver em uso;
– Falhas nos rebocos: Conserte ou nivele toda imperfeição em pisos e locais que possam acumular água;
– Caixas de água, cisternas e poços: Mantenha-os fechados e vedados com tampa;
– Tonéis e depósitos de água: Mantenha-os vedados e os que não têm tampa devem ser escovados e cobertos com tela;
– Objetos que acumulam água: Coloque num saco plástico, feche bem e jogue corretamente no lixo;
– Vasilhas para animais: Os potes com água para animais devem ser muito bem lavados com água corrente e sabão no mínimo duas vezes por semana;
– Pratinhos de vasos com plantas: Mantenha-os limpos e coloque areia até a borda;
– Objetos d’água decorativos: Mantenha-os sempre limpos com água tratada com cloro ou encha-os de areia. Crie peixes, pois eles se alimentam das larvas do mosquito;
– Lixo, entulho e pneus velhos: Entulho e lixo devem ser descartados corretamente. Guarde os pneus em local coberto ou faça furos para não acumular água;
– Lixeira dentro ou fora de casa: Mantenha a lixeira tampada e protegida da chuva, além de fechar bem o saco plástico.

CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer