Teutônia realiza mutirão contra o Aedes

Seis tubitos com larvas de mosquitos foram recolhidos e analisados, sendo que em nenhum foi detectado a presença do Aedes. Durante a ação, ainda foram recolhidos potenciais criadouros de mosquitos em 15 quadras do Bairro Centro Administrativo, na região em que há dois casos confirmados e um suspeito de dengue

26 de agosto, 14h35min
Édson Luís Schaeffer
Larvas de mosquitos foram recolhidas para serem analisadas
Larvas de mosquitos foram recolhidas para serem analisadas

No sábado, dia 24 de agosto, em torno de 40 agentes de combate a endemias e agentes comunitários de saúde de Teutônia percorreram as ruas de 15 quadras do Bairro Centro Administrativo visando eliminar os focos dos mosquitos Aedes Aegypti e Aedes Albopictus. Durante o mutirão, na região em que foram confirmados dois casos de dengue e um terceiro que está sob suspeita, foram recolhidos potenciais criadouros de mosquito, bem como seis tubitos com larvas, que foram analisadas nesta segunda-feira, dia 26 de agosto.
A mobilização começou cedo. Às 7h30min, sob forte neblina, os agentes começaram a percorrer as ruas do Bairro Centro Administrativo, entre as ruas 1 Norte e Ricardo Luersen e entre a ERS-128 (Via Láctea e Rua 2 Leste). Qualquer material que pudesse acumular água ia para o saco de lixo. Copos, latinhas, garrafas, tampinhas, cascas de ovo, sacos plásticos, entre outros, estavam entre os materiais que iam sendo recolhidos, enchendo a caçamba de um caminhão MB 608. Quando necessário, esclarecimentos e informações sobre como eliminar o mosquito eram dadas aos moradores.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Moradores receberam informações de como eliminar criadouros de mosquitos

Em determinados locais, especialmente ao longo da Avenida 1 Leste, a quantidade de potenciais criadouros dos mosquitos Aedes chegava a assustar os agentes. Terrenos baldios, num primeiro olhar, os criadouros eram despercebidos. Mas, ao olhar minuciosamente, a quantidade de lixo surpreendia. Na esquina das ruas Pastor Kleinguenther e 2 Leste, em uma área de mato, por exemplo, várias latas de ervilha e milho. Dentro de algumas latas, centenas de larvas de mosquitos.
Nos locais em que se via larvas de mosquitos, amostras eram coletadas. Afinal, é no Bairro Centro Administrativo que foram confirmados os dois casos autóctones de dengue e um terceiro está sob suspeita. No total, seis tubitos com larvas de mosquito foram recolhidas e, na manhã desta segunda-feira, foram analisadas no laboratório da Vigilância Sanitária de Teutônia.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Mutirão procurou eliminar os criadouros de mosquitos

Em nenhuma das amostras foram encontradas larvas do Aedes Aegypti ou do Aedes Albopicuts. “Isso significa que as ações das agentes de combate a endemias, nas semanas anteriores nos locais dos casos confirmados, foi efetiva. No entanto, a partir deste resultado, vamos manter as ações de vistoria e conscientização da população, que é corresponsável no objetivo principal de eliminar qualquer tipo de criadouro de Aedes Aegypti em Teutônia”, avalia o coordenador das vigilâncias Sanitária e Ambiental do Município, Evandro do Canto Borba.
Os trabalhos de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya são feitos de sete em sete dias, sendo que no sábado foram de forma mais intensiva, já que casos foram confirmados na região. De 15 em 15 dias, pontos estratégicos, como borracharias e estabelecimentos comerciais, também são monitorados.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Terrenos baldios também foram alvos do mutirão

No entanto, o monitoramento não se restringe somente ao Bairro Centro Administrativo. Através dos Levantamentos Rápidos do Índice de Infestação (Lira), focos do Aedes Aegypti também foram localizados em outras regiões do município. Nas próximas semanas, os trabalhos continuarão em outras áreas de Teutônia.
Borba alerta que toda a população deve fazer a sua parte para eliminar o mosquito. “Somente com a ajuda de todos, vamos eliminar este inseto indesejado. Lembramos que hoje é a dengue que nos ameaça aqui em Teutônia. Mas se não eliminarmos o mosquito, amanhã pode ser a zika vírus ou a chikungunya”, frisa.
O secretário de Saúde, Hélio Brandão, reforça o alerta do coordenador das Vigilâncias Sanitária e Ambiental. “O município está fazendo a sua parte. Agora, pedimos à toda a população para que se conscientize e eliminem qualquer possível criadouro, para, assim, evitar a proliferação do mosquito”, solicita.
Borba ainda agradece ao apoio dos agentes de combate a endemias e dos agentes comunitários de saúde pelo trabalho que vêm realizando. “O trabalho de conscientização será longo e o trabalho deste profissionais está sendo de extrema importância para que possamos alcançar o objetivo de eliminar o Aedes”, pontua.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Qualquer possível criadouro de mosquito, como tampinhas, era eliminado

Como identificar a dengue

Os sintomas da dengue são:
– febre alta, acima de 38 graus;
– dor de cabeça;
– dor musculares e articulações (popularmente conhecida como dor nas juntas);
– dor no corpo (quebra ossos);
– fraqueza;
– manchas vermelhas na pele (às vezes);
– falta de apetite;
– náuseas;
– vômitos.
O paciente pode não apresentar nenhum sintoma ou apresentar sintomas leves e graves. Caso alguém suspeite que esteja com dengue, deverá o quanto antes procurar a Unidade de Saúde mais próxima. Os sintomas podem ser confundidos com outras doenças (como gripe e sarampo). Por isso, é importante procurar imediatamente atendimento em uma unidade de saúde, pois somente com o diagnóstico é possível realizar tratamento adequado.
O diagnóstico e o tratamento adequado visam evitar que a dengue evolua para formas mais graves, como a dengue hemorrágica, que apresenta sangramento nas mucosas, olhos, nariz, boca e baixa pressão arterial. Também Pede-se uma atenção especial às crianças menores de 12 anos, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, diabéticos, hipertensos, problemas renais, entre outros.

CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer


Impresso em 18 de abril de 2021, 18h18min de:
https://www.teutonia.rs.gov.br/noticias/teutonia-realiza-mutirao-contra-o-aedes/