HORÁRIO DE ATENDIMENTO De segundas às sextas-feiras,
das 7h30min às 11h30min, 13h às 17h

Comitê de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus: um trabalho constante para evitar a propagação da doença em Teutônia

Diversas ações estão sendo feitas pelo Comitê, que se reúne quase diariamente para definir estratégias que visam evitar a propagação do novo coronavírus, bem como preparar os fluxos de atendimento caso venham se confirmar casos em Teutônia

8 de abril, 15h35min

Édson Luís Schaeffer
Comitê de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus: um trabalho constante para evitar a propagação da doença em Teutônia
Comitê de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus: um trabalho constante para evitar a propagação da doença em Teutônia

Definir estratégias que visam evitar a propagação do novo coronavírus (Covid-19), bem como preparar a estrutura de atendimento caso venham se confirmar casos em Teutônia: este tem sido o trabalho do Comitê de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus no município. Quase que diariamente, o grupo, formado por profissionais da saúde e representantes do Executivo e do Hospital Ouro Branco, se reúne para definir os próximos passos. Este trabalho tem sido fundamental para que, até o momento, Teutônia não registrasse nenhum caso de Covid-19.

Quando o Brasil começou a registrar os primeiros casos de Covid-19, o grupo iniciou os encontros e a estruturação dos protocolos e fluxos do Plano de Contingência Municipal, conforme orientações do Ministério da Saúde, da Organização Mundial da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde, que vão sendo atualizados constantemente. Com o Plano organizado, novas estratégias passaram a ser definidas.

Uma das ações foi a reestruturação dos fluxos de atendimento nas unidades de saúde municipais, com adequação dos espaços físicos e equipes de atendimento com finalidade de identificar, isolar e cuidar dos pacientes precocemente, inclusive fornecendo atendimento otimizado aos pacientes infectados. Nesta reestruturação ainda se inclui a criação de duas unidades específicas para atendimento de gestantes, puérperas, puericultura e vacinação de gestantes e menores de 12 anos, visando a minimização de risco de contágio dessa população.

Paralelo a isso, o Comitê ainda iniciou o monitoramento do suprimento de equipamentos de proteção individual; da disponibilidade de testes laboratoriais (moleculares e sorológicos), que serão usados conforme os protocolos específicos; da busca por respiradores mecânicos, que estão sendo adquiridos por meio de doações de empresas e Poder Judiciário; e, ainda, da disponibilidade de profissionais de saúde, caso aumente a procura pelos serviços de saúde.

Da mesma forma, ocorre o monitoramento dos casos suspeitos em isolamento social e quarentena pela Vigilância Epidemiológica, com finalidade de interromper a transmissão de humano para humano, incluindo a redução de infecções secundárias entre contatos próximos dos profissionais de saúde, prevenindo eventos de amplificação de transmissão e prevenindo a dispersão, por meio da identificação rápida de casos e diagnóstico.

Vale ressaltar que, conforme o atual protocolo do Ministério da Saúde, pessoas com síndrome gripal são suspeitas para o Covid-19 e por isso são colocadas em isolamento, mas só são feitos testes nos pacientes hospitalizados. As pessoas com síndrome gripal recebem acompanhamento constante das equipes de saúde para verificar a evolução dos sintomas por aproximadamente duas semanas.

Outra decisão tomada pelo Comitê foi a vacinação contra a gripe nos idosos de forma domiciliar no perímetro urbano. Assim, se procurou minimizar a circulação dessa população de risco e fortalecer o distanciamento social, evitando a aglomeração de pessoas nas unidades de saúde, o que poderia ser um fator de contágio do Covid-19.

O Comitê também teve papel importante no apoio técnico para o embasamento e elaboração dos decretos municipais que estão vigentes atualmente, dentre eles, o de calamidade pública devido à pandemia do Covid-19. Dentre as recomendações estão as medidas preventivas e de higienização que os estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços, bem como a população em geral, devem seguir.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Pavilhão da Comunidade Redentor será, se necessário, o Centro Temporário de Atendimento às Doenças Respiratórias

Dentre as ações mais recentes está a estruturação do Centro Temporário de Atendimento às Doenças Respiratória junto ao pavilhão da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana Redentor, no Bairro Canabarro. “O espaço está fase final de estruturação e será usado no caso de um aumento abrupto da demanda de casos respiratórios, a fim de evitar a circulação desses pacientes pelas unidades de saúde do município e redirecionar o fluxo, evitando que casos leves sobrecarreguem a emergência do Hospital Ouro Branco”, explica o médico clínico-geral Enrico Arthur Neiss, um dos profissionais que integra o Comitê.

O Centro Temporário de Atendimento às Doenças Respiratória, quando for utilizado, tem horário de atendimento previsto das 7h30 às 21h30 e contará com médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem. “Esperamos não precisar utilizar este espaço. Mas, se houver a necessidade, temos as estruturas física e de pessoal preparadas”, frisa Neiss.

As ações do Comitê, bem como as medidas de prevenção e quarentena decretadas pelo Município e Estado foram efetivas até o momento, uma vez que não foi registrado nenhum caso de Covid-19 até agora em Teutônia. Em 8 pacientes foi feita a coleta de material para exames, que testaram negativos. E nos casos suspeitos monitorados a domicílio, nenhum até o momento apresentou agravamento de sintomas.

Mesmo com este cenário, o Comitê permanece em alerta, especialmente com a chegada do inverno, em que se observa um aumento de doenças respiratórias e se espera o consequente aumento de casos confirmados de Covid-19 na região. “É de suma importância todas as pessoas continuarem tomando as medidas de proteção e o distanciamento social, dentro do possível. Com a união de esforços, vamos evitar que o novo coronavírus se propague por Teutônia”, salienta o clínico-geral.

O prefeito, Jonatan Brönstrup, destaca a importância do trabalho realizado pelo Comitê. “O Comitê é formado por profissionais altamente qualificados, que têm desempenhado um trabalho ímpar para a comunidade teutoniense, não somente durante a pandemia, mas desde que atuam no município. Temos plena confiança no trabalho realizado pelo Comitê e somos apoiadores das estratégias definidas pelo grupo. Muitas decisões podem ser antipáticas, mas está se prezando pela saúde da nossa população”, enaltece.

O prefeito ainda cita trabalho de todos os profissionais da saúde neste período de pandemia. “Os profissionais de saúde merecem ainda mais o nosso respeito e admiração. Estão abrindo mão de estar em casa, de quarentena ao lado de suas famílias, para trabalhar pelo próximo, correndo, inclusive, o risco de contrair o Covid-19. É impossível imaginar medidas efetivas de combate ao novo coronavírus sem estes profissionais das mais diversas áreas da saúde”, sublinha.

Integram o Comitê de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus de Teutônia profissionais médicos, enfermeiros e farmacêuticos da rede de atenção básica de saúde, das vigilâncias Epidemiológica e Sanitária, do Hospital Ouro Branco, da Secretaria de Saúde e representantes do Executivo. Uma vez por semana, representantes das secretarias de Saúde de municípios vizinhos, conveniados ao Hospital Ouro Branco, participam das reuniões, visando troca de experiências e padronizando processos no que se referem a fluxos na casa de saúde.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Comitê de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus: um trabalho constante para evitar a propagação da doença em Teutônia

 

 

 

CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer