HORÁRIO DE ATENDIMENTO De segundas às sextas-feiras,
das 7h30min às 11h30min, 13h às 17h

Incentivos da Secretaria de Agricultura possibilitam a sucessão nas propriedades rurais

Jovens têm investido no setor primário em razão do incentivo à criação de aves, suínos e bovinos, aliado a outros programas da pasta. Interessados em ampliar ou construir aviários, pocilgas e tambos de leite recebem um auxílio financeiro de R$ 16,00 por metro quadrado

28 de março, 15h44min

Paulo Sérgio Rosa
Executivo visitou quatro propriedades para conhecer os investimentos feitos através do incentivo
Executivo visitou quatro propriedades para conhecer os investimentos feitos através do incentivo

O setor primário de Teutônia coloca o município como referência no Vale do Taquari e no Estado. Para continuar sendo destaque nesta área, há inúmeros desafios, dentre eles, a sucessão nas propriedades. Neste sentido, diversas ações e programas estão sendo desenvolvidos pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.
Uma das iniciativas é o incentivo à criação de aves, suínos e bovinos. Através deste programa, produtores rurais, dentre eles, muitos jovens, tem investido em suas propriedades, uma vez que recebem auxílio financeiro de R$ 16,00 por metro quadrado para ampliação ou construção de aviários, pocilgas e tambos de leite.
Entre investir na propriedade rural de seu avô Paulo Schaeffer, em Linha Germano, interior de Teutônia, ou seguir no comércio em Arroio do Meio, Willian Rosenbach, 19 anos, decidiu pela primeira opção. Diversos fatores foram importantes para esta decisão, dentre elas o incentivo para a construção de aviários, pocilgas e tambos de leite. Rosenbach investiu em uma pocilga de 1.894 metros quadrados e recebeu R$ 24.623,20 de incentivo da Secretaria de Agricultura.
Rosenbach já auxiliava na propriedade em função do curso técnico em Agropecuária, ao mesmo tempo em que fez estágio em estabelecimento comercial – experiência que não lhe agradou. “Mesmo assim, cogitei ir para Arroio do Meio. Mas meu avô ficou sentido. Então decidi ficar em Teutônia e investir no que eu gosto. Quando tomei conhecimento do incentivo, vi que tomei a decisão certa, afinal, todo o auxílio é importante e é um valor a menos que tiramos do bolso”, enaltece.
O jovem, inclusive, fez um investimento pioneiro no Estado: uma pocilga com controle térmico automatizado. “Não se tem tantos custos com ventiladores, pois controle das cortinas é automático. Chega a determinada temperatura, que as cortinas não conseguem mais fazer nada, automaticamente se liga a nebulização. A estrutura também tem o lanterninho, que fica em cima do galpão e que dissipa o calor. É uma estrutura que visa o bem estar animal”, explica.

Foto: Paulo Sérgio Rosa
Willian Rosenbach investiu em uma pocilga pioneira no Estado – CRÉDITOS DA FOTO: Paulo Sérgio Rosa
Foto: Paulo Sérgio Rosa
Willian Rosenbach investiu em uma pocilga pioneira no Estado – CRÉDITOS DA FOTO: Paulo Sérgio Rosa

Também na Linha Germano, Douglas Rafael Lamb, 26 anos, está investindo em um tambo de leite de R$ 640 metros quadros. Ele receberá um incentivo de R$ 10.240,00, auxílio importante para possibilitar o investimento na propriedade e, é claro, continuar na atividade. Na propriedade, atualmente são três gerações que, além da produção leiteira, também trabalham com avicultura.
Para Lamb, os incentivos propiciam inúmeros benefícios. “Foi um incentivo importante para aumentarmos a nossa produção, onde podemos investir em tecnologias e melhorar a qualidade do leite. Ao mesmo tempo, acredito que incentivos como este melhoram a nossa qualidade de vida, o que nos motiva a permanecer na propriedade da nossa família e investir nela”, enaltece.

Foto: Paulo Sérgio Rosa
Douglas Rafael Lamb está investindo em um tambo de leite – CRÉDITOS DA FOTO: Paulo Sérgio Rosa
Foto: Paulo Sérgio Rosa
Douglas Rafael Lamb está investindo em um tambo de leite – CRÉDITOS DA FOTO: Paulo Sérgio Rosa

Na Linha Clara, Ana Paula Schmidt, 31 anos, e Fábio Weber, 32 anos, também seguem investindo na atividade rural. A família já possui produção leiteira e, agora, optou em investir em uma pocilga de 840 metros quadrados, para trabalhar, também, com a suinocultura. Através do incentivo, eles receberam R$ 13.440, 00 de auxílio da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.
Ana Paula coloca que o incentivo foi muito importante para viabilizar o investimento. “Mostra que a Prefeitura tem interesse para que os jovens permaneçam na atividade rural. Uma construção exige um investimento alto e toda a ajuda, como esta, vem bem. Para nós, incentivos como este nos motivam a permanecer no campo. Se não fosse isso, era mais fácil a gente sair e procurar emprego em outro lugar”, coloca.

Foto: Paulo Sérgio Rosa
Ana Paula Schmidt e Fábio Weber investiram em uma pocilga – CRÉDITOS DA FOTO: Paulo Sérgio Rosa
Foto: Paulo Sérgio Rosa
Ana Paula Schmidt e Fábio Weber investiram em uma pocilga – CRÉDITOS DA FOTO: Paulo Sérgio Rosa

Ainda na Linha Clara, Jorge Leandro Markus, 41 anos, trabalha com suinocultura e decidiu incrementar sua produção leiteira com a construção de um tambo de leite de 640 metros quadrados. Ele recebeu R$ 10.240,00 de incentivo, importante para viabilizar o investimento. “Foi um auxílio importante, pois investimos para ajeitar a propriedade e proporcionar um bem estar animal. E toda forma de auxílio vem muito bem. Além deste auxílio, recebemos ajudar em saibro, que também foi muito importante, pois melhorou o acesso à nossa propriedade”, frisa.

Foto: Paulo Sérgio Rosa
Jorge Leandro Markus investiu em tambo de leite – CRÉDITOS DA FOTO: Paulo Sérgio Rosa
Foto: Paulo Sérgio Rosa
Jorge Leandro Markus investiu em tambo de leite – CRÉDITOS DA FOTO: Paulo Sérgio Rosa

Além destas quatro famílias, que já estão tendo a sucessão na propriedade, outros produtores também estão aproveitando o incentivo para investir e incrementar sua produção. Até o mês de março, os pedidos de auxílio para construções que deram entrada na Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, através do programa de incentivo, totalizam um valor aproximado de R$ 60 mil.
Na terça-feira, dia 27 de março, o Executivo visitou as quatro propriedades. Na ocasião, o prefeito, Jonatan Brönstrup, o vice-prefeito, Valdir Oliveira do Amaral, o secretário de Agricultura, Márcio Mügge, e a subsecretária, Nara Regina Nichterwitz, conheceram as estruturas construídas ou em construção, além de ouvir sugestões e demandas.
Para o prefeito, Jonatan Brönstrup, os incentivos fortalecem, ainda mais, o setor primário de Teutônia. “Se hoje somos referência no setor primário e a segunda maior economia do Vale do Taquari é porque temos pessoas que acreditam no município e, com o seu trabalho, contribuem com o desenvolvimento de Teutônia. Estamos criando mais oportunidades no campo, sem esquecer o nosso principal objetivo de governo, de investir nas pessoas, o que fica evidente em cada ação nossa, como este incentivo”, sublinha.
Márcio Mügge coloca que o incentivo está proporcionando mais oportunidades de desenvolvimento no campo. “Oportunizamos aos nossos produtores empreenderem em suas atividades, oferecendo renda e qualidade de vida a toda a família. Consequentemente, estamos oportunizando para que as famílias permaneçam em suas atividades, garantindo a sucessão na propriedade. É uma atenção que o nosso homem do campo necessita e nada melhor que reconhecermos o trabalho dele através deste e outros inúmeros incentivos”, frisa.
Valdir Oliveira do Amaral enaltece a importância dos jovens acreditarem no potencial que a atividade rural tem. “Ficamos extremamente felizes em ver estes jovens investindo em suas propriedades e garantindo a sucessão familiar no meio rural. Somos cientes dos desafios que o setor primário enfrenta, mas, graças aos incentivos, estamos estimulando os produtores a permanecerem em suas atividades e na sua nobre missão, de produzir alimentos”, coloca.
Conforme Nara Regina Nichterwitz, os inúmeros incentivos da Secretaria de Agricultura se refletem no desenvolvimento de todo o município. “Através dos incentivos, os produtores também fomentam o comércio de Teutônia, ao adquirir insumos, equipamentos e ferramentas para o seu dia a dia. E, hoje, devido aos incentivos ver os jovens investindo e acreditando nos potencial de suas propriedades nos faz ver que estamos no caminho certo”, pontua.
Em dezembro do ano passado, o valor do incentivo foi reajustado em 60%. Pela legislação anterior, produtores interessados em ampliar ou construir aviários, pocilgas e tambos de leite recebiam um auxílio financeiro de R$ 10,00 por metro quadrado. Com o reajuste, o valor por metro quadrado passou para R$ 16,00, sendo que o recurso é liberado em duas parcelas: 50% no início da obra, para terraplanagem ou outras despesas iniciais quando a área for plana e não necessitar de terraplanagem; e os outros 50% para a conclusão da obra, para a aquisição de materiais para a cobertura do empreendimento.

CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer