HORÁRIO DE ATENDIMENTO De segundas às sextas-feiras,
das 7h30min às 11h30min, 13h às 17h

Neste sábado tem mutirão de combate ao mosquito da dengue no Bairro Centro Administrativo

Ação ocorre em 15 quarteirões, na região em que há dois casos confirmados de dengue e um caso suspeito. Mutirão será realizado em outros locais em data a ser confirmada

20 de agosto, 16h48min

Neste sábado, dia 24 de agosto, agentes de de Combate a Endemias e agentes comunitários de saúde estarão realizando o Dia D contra a dengue, através do Mutirão de Combate ao Mosquito Aedes Aegypti, no Bairro Centro Administrativo. A ação ocorre em 15 quarteirões, na região em que há dois casos confirmados de dengue e um caso suspeito.
O mutirão ocorre das 7h30min às 11h30min, nas quadras compreendidas entre a Avenida 1 Norte e a Rua Ricardo Luersen e entre a Rua 2 Leste e a ERS-128 (Via Láctea). Na ocasião haverá a limpeza de pátios, que deve ser feita por cada morador, e recolhimento, pela equipe da Prefeitura, de resíduos recicláveis e/ou orgânicos para o controle e eliminação de focos do mosquito Aedes, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Além disso, os agentes estarão à disposição para esclarece dúvidas da comunidade.
Em vistoria recente nesta região, foram encontrados focos e larvas do Aedes Aegypti. Além disso, nesta área estão os dois casos autóctones confirmados e um caso suspeito de dengue. Neste sentido, as Vigilâncias Sanitária, Ambiental e Epidemiológica entendem que o mutirão de limpeza e recolhimento de resíduos recicláveis é a medida mais eficaz para eliminar criadouros, muitas vezes, não visíveis para o morador.
Para o mutirão, solicita-se a colaboração dos moradores, para que verifiquem seus pátios, caixas d’água, potes, tampinhas de garrafa, pneus, plantas, enfim, qualquer eventual criadouro do mosquito. “Hoje pode ser a dengue, mas, se não houver precaução, no futuro pode ser o zika vírus ou a Chikungunya. Vamos todos fazer a nossa parte”, adverte o coordenador das Vigilâncias Ambiental e Sanitária, Evandro do Canto Borba.

Foto: Édson Luís Schaeffer
Eliminar os focos do mosquito é dever de todos

Como identificar a dengue

Os sintomas da dengue são:
– febre alta, acima de 38 graus;
– dor de cabeça;
– dor musculares e articulações (popularmente conhecida como dor nas juntas);
– dor no corpo (quebra ossos);
– fraqueza;
– manchas vermelhas na pele (às vezes);
– falta de apetite;
– náuseas;
– vômitos.
O paciente pode não apresentar nenhum sintoma ou apresentar sintomas leves e graves. Caso alguém suspeite que esteja com dengue, deverá o quanto antes procurar a Unidade de Saúde mais próxima. Os sintomas podem ser confundidos com outras doenças (como gripe e sarampo). Por isso, é importante procurar imediatamente atendimento em uma unidade de saúde, pois somente com o diagnóstico é possível realizar tratamento adequado.
O diagnóstico e o tratamento adequado visam evitar que a dengue evolua para formas mais graves, como a dengue hemorrágica, que apresenta sangramento nas mucosas, olhos, nariz, boca e baixa pressão arterial. “Pede-se uma atenção especial às crianças menores de 12 anos, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, diabéticos, hipertensos, problemas renais, entre outros”, colocam.

COMO COMBATER O AEDES AEGYPTI

O combate do Aedes aegypti é tarefa de todos. Por isso, siga essas dicas:
– Baldes e vasos de plantas vazios: Guarde-os em local coberto, com a boca para baixo;
– Piscinas: Mantenha a piscina sempre limpa e use cloro para tratar a água;
– Coletor de água da geladeira e ar-condicionado: Atrás da geladeira existe um coletor de água, que deve ser lavado uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado;
– Calhas: Mantenha-as sempre limpas, sem folhas e nivelada, melhorando, assim, a passagem de água;
– Cacos de vidro nos muros: Quebre todos os cacos que possam acumular água ou vede com cimento;
– Garrafas de vidro ou de plástico (pet): As garrafas devem ser, obrigatoriamente, embaladas e descartadas corretamente na lixeira, em local coberto ou de boca parta baixo;
– Lajes: Não deixe água acumular nas lajes, mantendo-as sempre secas;
– Ralos: Tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso;
– Vasos sanitários: Deixe a tampa sempre fechada ou vede com plástico;
– Plantas que acumulam água: Evite plantas que acumulem água ou retire, semanalmente, a água das folhas;
– Suporte de garrafão de água mineral: Lave-o sempre quando fizer a troca ou mantenha vedado quando não estiver em uso;
– Falhas nos rebocos: Conserte ou nivele toda imperfeição em pisos e locais que possam acumular água;
– Caixas de água, cisternas e poços: Mantenha-os fechados e vedados com tampa;
– Tonéis e depósitos de água: Mantenha-os vedados e os que não têm tampa devem ser escovados e cobertos com tela;
– Objetos que acumulam água: Coloque num saco plástico, feche bem e jogue corretamente no lixo;
– Vasilhas para animais: Os potes com água para animais devem ser muito bem lavados com água corrente e sabão no mínimo duas vezes por semana;
– Pratinhos de vasos com plantas: Mantenha-os limpos e coloque areia até a borda;
– Objetos d’água decorativos: Mantenha-os sempre limpos com água tratada com cloro ou encha-os de areia. Crie peixes, pois eles se alimentam das larvas do mosquito;
– Lixo, entulho e pneus velhos: Entulho e lixo devem ser descartados corretamente. Guarde os pneus em local coberto ou faça furos para não acumular água;
– Lixeira dentro ou fora de casa: Mantenha a lixeira tampada e protegida da chuva, além de fechar bem o saco plástico.

CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer