HORÁRIO DE ATENDIMENTO De segundas às sextas-feiras,
das 7h30min às 11h30min, 13h às 17h

Visitador do PIM de Teutônia recebe prêmio nacional

Prática executada pelo visitador Nilo Edenilson Liessem Jacinto está entre os 100 premiados do “Prêmio Parentalidade: boas práticas de visitadores na pandemia”, organizado pela Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal e a Fundação Bernard van Leer

11 de dezembro, 16h17min

Édson Luís Schaeffer/arquivo
Nilo Liessem recebeu prêmio nacional
Nilo Liessem recebeu prêmio nacional

As práticas desenvolvidas pelo programa Primeira Infância Melhor em Teutônia tem gerado inúmeros benefícios às centenas de famílias atendidas. E uma das ações foi reconhecida nacionalmente nesta quinta-feira, dia 10 de dezembro. A prática executada pelo visitador teutoniense Nilo Edenilson Liessem Jacinto está entre os 100 premiados do “Prêmio Parentalidade: boas práticas de visitadores na pandemia”, organizado pela Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal e a Fundação Bernard van Leer.

O prêmio tinha como objetivo identificar e valorizar iniciativas de profissionais que atuam no fortalecimento da primeira infância dentro dos programas e políticas públicas de visitação domiciliar no Brasil. Neste sentido, os premiados, que foram anunciados em evento online na tarde desta quinta-feira, são profissionais que contribuem para o aprimoramento das práticas de pais e ou cuidadores, em especial, no período de isolamento, que exigiu maior atenção dos responsáveis às crianças do grupo de 0 a 6 anos.

Foto: Édson Luís Schaeffer/arquivo
Nilo com a equipe do PIM de Teutônia

Dez visitadores do Primeira Infância Melhor (PIM) gaúcho foram premiados, incluindo o teutoniense Nilo Edenilson Liessem Jacinto. “É um sentimento de emoção, gratidão e alegria. Ter e ser premiado entre 100 práticas de visitação domiciliar em tempos de pandemia, sendo destacada a minha prática entre as 100 a nível nacional entre 781 práticas enviadas, é algo sem palavras. Orgulho em trazer esse prêmio para a equipe e levar o nome do PIM Teutonia a ter esse reconhecimento a nível nacional”, exalta.

Além de certificado, a premiação ainda contempla um recurso de R$ 3 mil, que será investido na aquisição de jogos e brinquedos que serão utilizados pelos visitadores nos atendimentos as famílias. Com isso, O PIM de Teutônia como um todo, principalmente as famílias atendidas, são beneficiadas com a premiação.

 

Prática premiada estimula o brincar espontâneo

A pandemia do novo coronavírus exigiu adequações quanto aos atendimentos domiciliares às famílias. Ligações telefônicas, mensagens via WhatsApp, videochamada, gravações de vídeo com sugestões de atividades e abordagem de outros assuntos como bem estar da família/criança, saúde mental, a importância do afeto na primeira infância, a importância da brincadeiras, entre outros, foram as formas encontradas por Nilo Liessem.

Nesta linha, o visitador relatou na inscrição do prêmio a prática elaborada a partir de reflexões após participação em uma live proposta pelo Grupo Técnico Estadual do PIM, que tinha como tema o brincar espontâneo. “Essa abordagem já conhecida por mim está sendo, nesse momento de pandemia e distanciamento, uma das abordagens que julguei mais efetiva e adequada, por acreditar que pode acarretar em inúmeros impactos positivos, uma vez que estou provocando movimentos familiares positivos, como acesso à lembranças e boas sensações”, explica.

Foto: arquivo pessoal
Prática premiada estimulou o brincar espontâneo

Nilo ainda complementa: “Com relação às crianças, apostei na busca de recursos internos delas mesmas para a exploração, pois se trata de uma prática sem tempo, espaço e materiais determinados para acontecer, despertando assim vários desfechos, entre eles o desejo de aprendizagem. E foi isso que aconteceu”, coloca.

O visitador ressalta que a proposta foi pensada para as crianças de 0 a 3 anos. “Contudo, me surpreendi, pois aconteceu a interação dos maiores, bem como a participação de toda família, resgatando, desse modo, lembranças afetivas nos familiares como um todo. Sobre o a interação das crianças maiores, elas sempre despertam nos pequenos muitos desejos! Isto está na metodologia do PIM”, afirma.

A atividade foi proposta à família através de um vídeo gravado pelo visitador, no qual abordou sobre o tema e seus benefícios. E nesta linha, sacolas se transformaram em pipas, criando uma interação entre todos os membros da família, resgatando, inclusive, memórias de infância nos pais. “Nós que fomos treinados para intervir, aprendemos com essa prática que apenas devemos deixar fluir e observar no sentido de contemplar o mesmo. O brincar livre e espontâneo desde então está presente no meu planejamento e na minha prática semanal”, salienta Nilo.

O trabalho durante o período de pandemia teve a pareceria da rede, em especial das Agentes Comunitárias de Saúde, unidades básicas de saúde, Cras e Creas, ao qual os visitadores mantém contato ativo, quase que diário. “Nessa troca entre os demais profissionais da rede realizamos encaminhamentos diversos. há uma troca entre eu visitador e os demais profissionais, elencando demandas pontuais das famílias”, frisa.

Foto: arquivo pessoal
Prática premiada estimulou o brincar espontâneo

 

Visitador já recebeu outros prêmios

Este não é o primeiro prêmio que Nilo Liessen recebe pelo trabalho realizando no PIM em Teutônia. O visitador também já foi agraciado cinco vezes com o Prêmio Dr. Salvador Célia, promovido pelo PIM Estadual em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde. “Esse prêmio visa reconhecer o trabalho dos visitadores e agentes comunitários de saúde no Estado, sendo uma homenagem ao médico psiquiatra infantil Salvador Célia, que dedicou parte de sua vida às causas da primeira infância. Salvador Célia foi o idealizador do Dia do Bebê, que iniciou em Canela e que hoje faz parte do calendário oficial de eventos do Rio Grande do Sul”, explica.

O visitador chama a atenção para a importância do trabalho com a primeira infância. “É nos primeiros anos de vida que nosso cérebro está em pleno desenvolvimento, mais precisamente nos três primeiros anos. Chama-se essa fase de neurociência de janela de oportunidade, pois os neurônios e as conexões neurais nessa fase estão em pleno desenvolvimento e quanto mais estimular as crianças nessa fase, mais sinapses o cérebro irá realizar. Caso não haja estímulos, muito dessas conexões ou sinapses deixam de acontecer, gerando grande perda do potencial do desenvolvimento infantil”, expõe.

Foto: arquivo pessoal
Nilo e equipe do PIM durante um encontro de integração com as famílias atendidas

Nesta linha, entra o trabalho desenvolvido pelo PIM. “Esse estímulo acontece através das trocas, da interação entre o bebê e seus familiares, trocas essas através da atenção dos pais para seus filhos, através das brincadeira e do afeto, dos vínculos familiares e dos cuidados básicos na primeira infância, como alimentação, saúde e vacinas. Então, através do trabalho do PIM, conseguimos trabalhar com as famílias todos esses aspectos, mostrando a elas da importância dos primeiros anos de vida para o desenvolvimento de suas crianças”, sublinha.

Nilo ainda destaca a importância de fortalecer ainda mais o trabalho na primeira infância. “Apostar em políticas públicas voltadas às primeira infância, fomentando as mesmas, é investir no futuro das novas gerações, em saúde, em prevenção e em menos mortalidade infantil. Precisamos que essas políticas, a exemplo do PIM, tenham mais reconhecimento e sejam mais valorizadas pelos gestores públicos”, finaliza.

Foto: arquivo pessoal
Nilo recebendo um dos prêmios a nível de Estado em anos anteriores

 

CRÉDITOS DO TEXTO: Édson Luís Schaeffer